Grupo hacker reivindica ataque a 61 sites no País

 



O CyberTeam - liderado pelo hacker conhecido como Zambrius - disse ter atacado ao menos outras 61 páginas com o domínio ".br"

O grupo do hacker português que assumiu publicamente a autoria do vazamento de dados privados e do ataque cibernético ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) durante o primeiro turno das eleições municipais, no último dia 15, tem um histórico de atuação contra sites brasileiros. Apenas ao longo deste ano, o CyberTeam – liderado pelo hacker conhecido como Zambrius – disse ter atacado ao menos outras 61 páginas com o domínio “.br”. Desde 2017, foram 140.

A invasão de sites do Ministério da Saúde, que prejudicou a divulgação de dados sobre covid-19, também é reivindicada pelo grupo. Na lista dos alvos estão, ainda, prefeituras, Câmaras e um departamento de trânsito. Pequenas empresas e escritórios de advocacia figuram entre as vítimas.

O histórico do CyberTeam alimenta a suspeita, não descartada por investigadores, de que a ação contra o TSE pode ter sido realizada não por um hacker ativista, mas por um grupo de cibercriminosos. Como mostrou o jornal O Estado de S. Paulo, uma das linhas de investigação indica a possibilidade de envolvimento de radicais ligados a núcleos bolsonaristas. Zambrius está em prisão domiciliar, em Portugal, e diz ter agido sozinho, munido apenas de um celular.

As apurações estão sendo conduzidas pelo Ministério Público Federal (MPF) e pelo próprio TSE. Há também um inquérito aberto pela Polícia Federal. Todas as informações sobre os ataques do grupo hacker ficam em um arquivo na internet no qual os invasores anexam, anonimamente, “provas” de seus feitos. Trata-se do Zone-H, que afirma não ser responsável pelos crimes cibernéticos registrados.

A plataforma, porém, só aponta investidas que produziram mudanças no conteúdo dos sites. Dessa forma, não pode ser usada como referencial absoluto para as atividades de grupos hackers. Há modalidades de invasões perigosas, nas quais atacantes permanecem discretamente com acesso a dados sensíveis, sem que sejam notados.

Ao jornal O Estado de S. Paulo, Zambrius disse que não contou com a ajuda de ninguém na invasão às páginas do TSE. Em ataques anteriores do CyberTeam, no entanto, há listas com assinaturas de grupos inteiros. Em outubro, por exemplo, o alvo foi o Detran de Tocantins. O grupo acessou páginas do departamento de trânsito em uma ação que, segundo especialistas, pode ter dado acesso a dados privados de servidores e cidadãos comuns.

Na mensagem inserida para se sobrepor às informações oficiais aparece o nome de nove invasores e uma referência à atuação de “portuguese and brazilian hackers”.

Em nota, a Agência de Tecnologia da Informação do Tocantins (ATI-TO) informou que o ataque ao site do Detran alterou momentaneamente o conteúdo da página exibida ao usuário, mas não resultou em perda de dados, acesso a informações ou suborno. “Fizemos os ajustes de segurança necessários e reativamos o serviço”, disse a agência.

Ideológico

O CyberTeam afirma que age com um propósito ideológico, faz ativismo contra governos, sem preocupação com ganhos financeiros. Mas entre suas vítimas também estão sites de pequenos comércios e empresas. Especialistas em cibersegurança consultados pelo jornal O Estado de S. Paulo disseram que hackers costumam mudar os alvos e praticar extorsão. Pedem dinheiro para não vazar informações sensíveis.

Zambrius negou que seu grupo faça extorsões. “Não, o CyberTeam nunca esteve envolvido em ataque de ransomware (que pede pagamento para devolver dados sequestrados) ou ao Superior Tribunal de Justiça. Mas somos responsáveis pela invasão ao Ministério da Saúde e a alguns tribunais de Justiça”, afirmou ele, por e-mail.

Em janeiro, Zambrius e mais 12 hackers “assinaram” o ataque ao site de uma empresa de softwares de Juiz de Fora (MG). Na mensagem deixada ali, incluíram foto aleatória de uma adolescente e escreveram que haviam feito aquilo apenas por diversão.

O dono da empresa contou à reportagem ter recebido um e-mail anônimo em que criminosos ameaçavam vazar informações pessoais, a menos que ele fizesse um pagamento em bitcoins. “Recebi e-mail falando que tinham hackeado minhas contas pessoais. Troquei minhas senhas, não paguei”.

Com um site de comércio de produtos importados, outra vítima, de São Paulo, afirmou que também já recebeu e-mail anônimo com pedido de pagamento. “O pessoal manda, mas não temos tempo de ficar dando atenção para certas coisas. É importante, mas temos muitas outras coisas para verificar. Nós nos preocupamos com os clientes. Nosso banco de dados é seguro. Houve acessos no passado, mas nada que fosse devastador. Temos backup de tudo.”

Os pequenos empresários pediram para não ter os nomes divulgados para que suas firmas não fossem consideradas vulneráveis. Além disso, temem virar alvo de retaliações.

Outras vítimas ouvidas pelo jornal O Estado de S. Paulo disseram não ter tomado conhecimento das derrubadas dos sites de seus negócios por integrantes do CyberTeam.

Para o especialista em cibersegurança da Midri, Vinícius Camacho, é comum que desenvolvedores de sites guardem para eles informações sobre esses eventos. “Muitas vezes, o dono da empresa não é quem cuida do site. E o desenvolvedor tende a abafar a invasão. Muitos donos de empresas não sabem que seu site foi invadido”, afirmou Camacho.

Agora Noticias Brasil

Campanha Mega Blue Friday da BRK Ambiental oferece condições especiais para quitação de dívidas

 




A BRK Ambiental, concessionária responsável pelos serviços de água e esgoto em Paço do Lumiar e São José de Ribamar, iniciou dia 09 de novembro a Mega Blue Friday, que traz uma oportunidade para clientes que queiram regularizar seus débitos junto à empresa por meio de condições facilitadas de pagamento e até renegociação de dívidas.

Durante a Mega Blue Friday, que acontecerá de 9 de novembro até o dia 11 de dezembro, as condições especiais de negociação estarão disponíveis por meio da plataforma Acordo Certo. À partir do uso de um sistema de inteligência artificial, todo o processo de negociação é digital, o que evita deslocamentos até a loja da concessionária e torna o atendimento ao cliente ainda mais simplificado.

Os acordos são exclusivos, conforme as necessidades de cada pessoa, e oferecem opções como pagamento de faturas vencidas à vista com isenção de multas e juros, parcelamento ou até mesmo o reparcelamento de uma negociação realizada anteriormente.

“A Mega Blue Friday é uma oportunidade de condições diferenciadas de negociação de débitos para nossos clientes. A plataforma é capaz de avaliar a melhor condição de pagamento para cada caso, permitindo que todos possam terminar o ano com as contas em dia”, explica Ranieri Siqueira, Gerente Comercial da BRK Ambiental, no Maranhão.

As negociações são realizadas no site www.acordocerto.com.br/brk. Para acessar, basta criar um cadastro a partir dos dados pessoais do cliente (CPF, data de nascimento, e-mail e número de telefone celular) e iniciar o processo de negociação na plataforma.


PF investiga organização criminosa especializada em fraudes contra a Caixa Econômica Federal

 



Operação Pestilência apura que o grupo tenha sido responsável por um prejuízo inicial superior a R$ 200 mil

Rio de Janeiro/RJ – Nesta segunda-feira, 23/11, a Polícia Federal deflagrou a Operação Pestilência, que visa desarticular organização criminosa especializada em fraudes contra a Caixa Econômica Federal.

Foram expedidos pela 5ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro um mandado de prisão temporária (Recreio dos Bandeirantes) e dois mandados de busca e apreensão (Campo Grande/RJ e Itaboraí/RJ), estes já cumpridos. O mandado de prisão permanece em aberto, em razão de o alvo não ter sido encontrado.

Durante as buscas, os policiais federais apreenderam celulares, notebooks e diversos documentos que serão analisados e periciados na continuidade das investigações.

A investigação aponta que o grupo criminoso, que conta com a participação direta de pelo menos dois funcionários da CEF e se utiliza de uma rede de falsificadores e sacadores para levantamento indevido de valores do FGTS, de Cota PIS (Programa de Integração Social) e de empréstimos consignados junto ao INSS com uso de documentos falsos, é responsável por um prejuízo inicial superior a R$ 200 mil.

Os investigados irão responder pelos crimes de estelionato qualificado, organização criminosa, peculato, crimes contra o sistema financeiro e lavagem de capitais.

O nome da operação faz referência à atividade de perfumaria da empresa criada e utilizada pela organização criminosa para a lavagem dos valores desviados.


 

Ministério Público recomenda afastamento de secretário de Agricultura por interferência política

 



Gestor também é acusado de prática de abate clandestino de animais e descumprimento de normas sanitárias

 O Ministério Público do Maranhão expediu Recomendação orientando o afastamento do secretário de Agricultura e Abastecimento de Carolina, Elizandro Lima. O documento ministerial foi assinado na última sexta-feira, 20, pelo titular da Promotoria de Justiça de Carolina, Marco Túlio Rodrigues Lopes.

O pedido de afastamento tem por base denúncia feita ao Ministério Público, relatando que o secretário exerce interferência política, prática de abate clandestino de animais e descumprimento de normas sanitárias.

De acordo com os relatos, o fornecedor Eduardo Feitosa, pessoa ligada ao secretário Elizandro Lima, chegou ao abatedouro no dia 13 de julho, fora do horário de inspeção e sem obedecer as normas sanitárias vigentes. Apesar da resistência do funcionário responsável pelo abate, que insistiu pelo cumprimento da legislação como forma de assegurar as normas sanitárias, Feitosa se utilizou da influência de Elizandro Lima para burlar as regras, negligenciando a inspeção dos animais.

A denúncia também relata que secretário se utilizou da autoridade como secretário para ordenar que o responsável técnico pelo abatedouro desobedecesse leis e normas sanitárias vigentes para abater os animais do fornecedor, sob pena de abertura de procedimento administrativo-disciplinar contra o funcionário do matadouro. O caso foi registrado em Boletim de Ocorrência na Polícia Civil.

"Tais fatos denotam sérios indícios de interferência política na atividade estritamente técnica e de profissional da medicina veterinária. Denotam também possível prática de ilícitos relevantes, envolvendo abates clandestinos de animais – o que, além de configurar improbidade administrativa, coloca a saúde pública em grande risco", ressalta o promotor de justiça Marco Túlio.

Recomendação

Na Recomendação, o MPMA orienta que o Município de Carolina, além de afastar Elizandro Lima do cargo de secretário municipal de Agricultura e Abastecimento, nomeie outro cidadão para o cargo que preencha requisitos de habilitação técnica específica.

O Município deve ainda informar à Promotoria de Carolina relatório completo, inclusive com fotos, contendo a comprovação de que a atividade do abatedouro observa as normativas sanitárias inerentes à atividade, no prazo de dez dias.

O MPMA pede também que o Município envie o conjunto de providências tomadas no sentido de inibir e evitar a reincidência de atos iguais ou similares aos que aconteceram, além da instauração de processo administrativo-disciplinar para apurar a conduta do secretário Elizandro Lima.

 

Justiça decreta prisão preventiva de ex-deputado flagrado com R$ 1,9 mi no CE




Adail foi um dos principais alvos da investigação que mira fraudes na contratação de serviços de locação de veículos e motocicletas, com desvio de recursos públicos, fraudes em licitações e lavagem de dinheiro

O juízo da 11ª Vara da Justiça Federal do Ceará decretou na noite desta sexta, 20, a prisão preventiva do ex-deputado Adail Carneiro, que foi flagrado com R$ 1.988.635,00 escondidos em uma caixa de televisão durante a Operação Km Livre 2, aberta no dia anterior, 19.

Adail foi um dos principais alvos da investigação que mira fraudes na contratação de serviços de locação de veículos e motocicletas, com desvio de recursos públicos, fraudes em licitações e lavagem de dinheiro. Na primeira fase da operação, aberta em 2016, a PF apreendeu quase R$ 6 milhões em dinheiro vivo no cofre de uma empresa ligada ao então parlamentar.

A partir dos valores e objetos apreendidos na primeira fase da ofensiva, a corporação identificou a atuação da organização criminosa na criação de empresas com participação de laranjas, além de indícios de fraudes em licitações, desvios de recursos públicos e lavagem de dinheiro com aquisição de imóveis, empresas e transações no mercado financeiro.

Segundo os investigadores, há fortes evidências de lavagem de dinheiro ilícito por meio da aquisição clandestina de corretoras valores e de sociedades em conta de participação do ramo de energia eólica, com a ajuda estratégica de operadores do mercado financeiro.

Ainda segundo a PF, a organização criminosa investigada atua há cerca de vinte anos e, desde então, tem obtido consecutivos e progressivos êxitos nas empreitadas criminosas objeto de investigação.

A reportagem busca contato com o ex-deputado Adail Carneiro. O espaço está aberto para manifestações.


MPMA ingressa com Representação contra 50 candidatos por propaganda irregular em Paço do Lumiar

 



O Ministério Público ingressou, no último domingo,15, junto à 93a Zona Eleitoral, com Representação contra 50 candidatos por distribuição irregular de material de propaganda eleitoral, ocorrida no dia do pleito municipal. A Representação foi formulada pela titular da 4a promotoria de justiça de Paço do Lumiar, Nadja Veloso Cerqueira, com base em imagens registradas pelo MPMA e pela Polícia Militar, que comprovam as irregularidades cometidas nas proximidades de seções eleitorais. 

De acordo com a promotora de justiça, a prática de derrame de santinhos às vésperas e no dia das eleições não é apenas um ilícito eleitoral, mas uma situação que afeta o meio ambiente, já que a material causa poluição, deixa a cidade com aspecto de sujeira, além de contribuir para o entupimento de bueiros e galerias, o que pode causar alagamentos, principalmente com o início do período chuvoso.


A representante do Ministério Público já havia enviado, no    dia 12 de novembro, uma Recomendação aos partidos e  coligações de Paço do Lumiar com orientações sobre o uso dos materiais de campanha.

No documento, a promotora ressaltava sobre a vedação em relação à distribuição dos santinhos após às 22h do dia 14 de novembro, véspera das eleições.

A divulgação após esse horário descumpre o art.37 da Lei 9.504/97 que rege as eleições. O não cumprimento incide, de acordo com a referida Lei, em pagamento de multa entre R$ 2mil a R$8 mil.


Equatorial Maranhão vai trocar geladeiras velhas por novas em São José de Ribamar

 

 






O programa de eficiência energética E+ Geladeira Nova, da Equatorial Maranhão, chega a São José de Ribamar. Os moradores do município poderão concorrer para trocar sua geladeira antiga por uma nova e economizar na sua conta de luz.

Para se cadastrar o cliente precisa ser o titular da conta, estar em dia com a Equatorial e se dirigir à Praça do Outeiro, no bairro Centro em São José de Ribamar, nos dias 18 e 19 de novembro, das 08h às 17h30.

Na ocasião, a Equatorial Maranhão também fará troca de até 5 lâmpadas incandescentes ou fluorescentes por lâmpadas novas de LED (é preciso levar as lâmpadas antigas).

Haverá também a troca de resíduos recicláveis por bônus na fatura de energia, cadastro da Tarifa Social Baixa Renda (que dá descontos de até 65% na conta de luz) e na Promoção Energia em Dia (que dá prêmios mensais aos clientes sorteados e um carro 0km no final da promoção).

A empresa ressalta ainda que todas as medidas de higiene e segurança deverão ser seguidas, portanto, os clientes deverão usar máscara.

Assessoria de Imprensa da Equatorial Maranhão