.

Cansar os jurados e desqualificar laudo podem não convencer jurados

 

 



As estratégias utilizadas pela defesa do assassino confesso da publicitária Mariana Costa - sobrinha-neta do ex-presidente José Sarney - pode não convencer os jurados a absolvê-lo.

Segundo um advogado com larga experiência no Tribunal do Júri, a estratégia de cansar os jurados e desqualificar laudo produzido por peritos oficiais, nem sempre é determinante para convencer os julgadores, que tem todo o direito de não acolher as teses sustentadas pela defesa.

Aos jurados são assegurados o direito de votar pela a condenação ou absolvição de acordo com suas consciências. Não é a defesa ou a acusação que determina como os julgadores devem votar.

No crime em tela, a vítima, segundo o Ministério Público, antes de ser morta por asfixia, foi estuprada. O crime causou um grande clamor na sociedade e dificilmente a teses apresentadas pela defesa serão acolhidas pelos representantes da sociedade.

Quem acompanhou o caso, garante que o assassino confesso, Lucas Porto, será condenado a pena máximas.

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário