Tribunal do Júri condena réu a 28 anos de reclusão

 





Em julgamento encerrado na última quinta-feira, 8, o Tribunal do Júri de São Luís condenou José Ribamar Silva Saraiva a 28 anos e seis meses de reclusão, a serem cumpridos inicialmente em regime fechado, pelos crimes de homicídio e ocultação de cadáver da jovem de 22 anos Elayne Ingridy Diniz Pereira.

Os crimes ocorreram em 2019 no matagal próximo à Avenida Jerônimo de Albuquerque, local onde o corpo foi encontrado após quatro meses em que a vítima estava desaparecida.

Pelo Ministério Público do Maranhão, atuou no caso a promotora de justiça Cristiane Lago, da 11ª Promotoria de Justiça de Substituição Plena do Termo Judiciário de São Luís. O júri foi presidido pela juíza Rosângela Santos Prazeres Macieira.

SENTENÇA

Foram incluídos como agravantes o feminicídio e a emboscada, correspondendo a um aumento de dois sextos da pena. Não foram encontrados fatos atenuantes para a redução penal.

Além da reclusão, o condenado ainda deverá realizar o pagamento de 181 dias de multa, equivalente a um trigésimo do salário-mínimo vigente na época dos crimes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário