Acusado de homicídio é condenado a 19 anos de prisão em Paço do Lumiar

 

 


O juiz Carlos Roberto de Paula, titular da 2ª Vara de Paço do Lumiar, termo judiciário da Comarca da Ilha, presidiu no último dia 5 uma sessão do Tribunal do Júri na unidade judicial. No banco dos réus, Ricardo Nunes Moraes, que estava sendo julgado pelo crime de homicídio que teve como vítima Matheus Lima Soares. Ao final, ele foi considerado culpado pelo Conselho de Sentença, recebendo a pena definitiva de 19 anos e nove meses de prisão.

Formado o Conselho de Sentença, foi realizada a instrução, tendo as partes sustentado oralmente as suas alegações na forma de debates. O promotor de Justiça Franck Teles de Araújo requereu a condenação do acusado, pela prática do crime de homicídio qualificado, com a incidência da agravante do recurso que impossibilitou a defesa da vítima. A defesa, representada pelo advogado Ítalo Gustavo Leite, requereu a absolvição do réu, por negativa de autoria, e, alternativamente, por insuficiência de provas. 

Na sala secreta, após leitura e explicação dos quesitos, conforme termo de votação que consta na própria ata, os jurados, por maioria de votos, reconheceram a materialidade e a autoria, bem como a incidência da qualificadora, negando a absolvição do réu. Ricardo Nunes deverá cumprir a pena, inicialmente, em regime fechado. 

O CASO 

Consta na denúncia do caso que, na data de 1º de outubro de 2019, Ricardo Nunes, em companhia de Derick Costa, teria ceifado a vida de Matheus Soares, com quatro disparos de arma de fogo. O crime ocorreu na Quadra Poliesportiva da Vila Cafeteira. Segundo o inquérito, no dia do crime, o denunciado Ricardo estava dirigindo um veículo S10 e teria colidido com um carro da CEMAR. Algumas pessoas se aproximaram para ver o acidente, entre as quais a vítima Matheus Lima. 

Nesse instante, Ricardo e Matheus discutiram sobre o acidente, tendo o denunciado perguntado à vítima se ela não tinha medo de morrer. Pela tarde, numa invasão próxima à Vila Cafeteira, Ricardo tentou matar Matheus, que conseguiu correr em direção a uma aglomeração de pessoas e escapou. Na parte da noite, quando a vítima estava próxima à quadra de esportes, foi localizada por Derick, enteado de Ricardo. Momentos depois, Ricardo chegou e, segundo testemunhas, teria disparado quatro vezes contra Matheus, fugindo em seguida na garupa de uma motocicleta pilotada por Derick.

Conforme informações da polícia, os dois homens seriam integrantes de uma facção criminosa. Além do juiz, que presidiu a sessão, atuaram no julgamento o promotor Franck Teles de Araújo, na acusação, e Ítalo Gustavo Leite, advogado que atuará na defesa dos réus. O outro homem, Derick Costa, não foi pronunciado a júri. O júri foi no Fórum Tácito Caldas, no Maiobão. A pauta de sessões do Tribunal do Júri na unidade judicial segue nos dias 12 de agosto e 2 de setembro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário