.

Diretor da Casa do Tambor de Crioula tenta lesionar jornalista com canivete




A ação criminosa aconteceu em frente à Casa do Tambor de Crioula, no Reviver

 

Em um ataque de fúria e com um canivete em punho, o diretor da Tapera do Cordel, Moisés Nobre, tentou lesionar e agrediu verbalmente na manhã deste sábado (30), o jornalista Carlos Cesar.

A ação criminosa ocorreu em frente à Casa do Tambor de Crioula, no Reviver, de onde Moisés se diz um dos diretores.

Segundo o jornalista, a ação criminosa foi motivada pela vontade de Moisés de não efetuar o pagamento de um serviço prestado ao evento que homenageou o cantor e cordelista Jeremias Pereira da Silva (o Gerô), realizado recentemente no Solar Maria Firmina.

O motivo para justificar o não pagamento do serviço usado por Moisés, foi o de que o presidente do SINPROESEMMA, Raimundo Oliveira, não havia lhe repassado o valor da cota do patrocínio.

Raimundo Oliveira diz que honrou todos os compromissos
                               
Ao ser contatado Raimundo Oliveira se mostrou surpreso e revelou que todos os pedidos feitos por Moisés relativos ao evento foram atendidos. Ele também colocou à disposição cópias de todos os recibos assinados por Moisés Nobre   durante o recebimento dos recursos destinados pelo Sindicato ao evento.

Professor Chico Gonçalves não foi encontrado para falar sobre o caso

Outro argumento utilizado por Moisés Nobre, foi o de que o ex-secretário de Estado de Direitos Humanos e Minorias, Chico Gonçalves, tinha cancelado o pagamento do patrocínio quatro dias antes da realização do evento.

Chico Gonçalves não foi encontrado para falar sobre o assunto.

O jornalista adiantou que já acionou sua assessoria jurídica e que providências serão tomadas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário