.

Pistoleiro diz que Gláucio Alencar e José Miranda são os mandantes da morte do corretor Fábio Brasil

Jhonathan Silva é acusado de matar Fábio Brasil em Teresina

O pistoleiro Jhonathan de Sousa Silva mantém firme a disposição de reafirmar durante a sessão do Tribunal do Júri de Teresina – que deverá ocorrer ainda este ano - os nomes dos empresários Gláucio Alencar Pontes de Carvalho e José de Alencar Miranda Carvalho como os mandantes do assassinato do corretor de veículos Fábio Brasil, crime ocorrido em março de 2012, na Avenida Miguel Rosa, em Teresina (PI).

Advogado Berilo Freitas
A informação foi confirmada pelo Portal do Itaqui-Bacanga na manhã dessa quarta-feira (24) durante conversa com advogado Berilo Freitas, que defende os acusados Jhonathan Sousa Silva e Elker Farias Veloso.

“Meu cliente me disse que vai reafirmar ao juiz que presidirá a sessão do Tribunal do Júri, quando se reunir em Teresina, que os empresários Gláucio Alencar e José Miranda (pai de Gláucio) foram os mandantes do assassinato do corretor de veículos, Fabio Brasil”, confirmou.

A motivação da morte de Fábio Brasil, segundo Jhonathan revelou em depoimento a autoridade policial piauiense, foi uma dívida de R$ 70 mil contraída e não paga com o agiota Gláucio Alencar.

Jhonathan Silva foi pronunciado a júri em setembro de 2016 pelo juiz Antônio Reis de Jesus Nolleto da 1º Vara do Tribunal do Júri de Teresina (PI).

Elker Veloso diz que é inocente
Além dele, foi pronunciado Elker Farias Veloso -  apontado como sendo o homem que dirigiu o carro que deu fuga a Jhonathan Silva logo após ele ter executado Fábio Brasil.

Segundo o advogado Berilo Freitas, Elker Farias negou sua participação na empreitada criminosa e afirma que vai provar sua inocência quando for submetido ao Conselho de Sentença.

“Ainda em sede de inquérito Elker negou qualquer participação no crime e tem afirmado categoricamente que vai provar sua inocência perante o conselho de Sentença” revelou.

Gláucio Alencar e José Miranda 
Apesar de o Ministério Público ter pedido em suas alegações finais a impronúncia, o magistrado resolveu pronunciar os agiotas Gláucio Alencar Pontes de Carvalho, José de Alencar Miranda de Carvalho e o empresário José Raimundo Charles Junior, o bolinha, como mandantes do crime.

O magistrado pronunciou ainda, o policial militar Fábio Aurélio Saraiva Silva, o Fabio Capita, acusado de ter fornecido a arma utilizada pelo pistoleiro Jhonathan para matar Fabio Brasil.

Policial Fabio Aurélio
Dos seis acusados da morte de Fábio Brasil, apenas o pistoleiro Jhonathan Silva e Elker Farias não recorreram da sentença de pronúncia.

 Entenda o caso

O empresário Fábio Brasil, de 33 anos, foi executado no dia 31 de março de 2012 em Teresina-PI, pelo pistoleiro Jhonathan de Sousa Silva, por acumular dividas com agiotas.

Fábio Brasil foi executado por Jhonathan em Teresina
 A polícia chegou aos acusados, após a morte do jornalista Décio Sá, em abril de 2012, em um bar na Avenida Litorânea, em São Luís.

Segundo a polícia, Décio foi morto por denunciar a ligação do bando com o assassinato de Fábio Brasil, em seu blog.

Os agiotas Gláucio Alencar Pontes de Carvalho, José de Alencar Miranda de Carvalho e o empresário José Raimundo Charles Junior, o bolinha, São apontados como mandantes do crime.

Veja Sentença de Pronúncia



Nenhum comentário:

Postar um comentário