Matador de advogado poderá ser preso a qualquer momento


O mandante da morte do advogado Almir Silva Neto, Norman Gonçalves, poderá ser preso a qualquer momento pela polícia.

Contra Norman existe um mandado de prisão definitivo por sentença penal condenatória transitada em julgado.

Segundo o Ministério Público, além de ter mandado matar, Norman Gonçalves participou diretamente do assassinato do advogado Almir Silva Neto juntamente com um primo identificado como Mansidão, o sobrinho Otinha e sua amante da época Elaine Cristina.

Ainda segundo o Ministério Público, antes de ser morto pelo quarteto criminoso, Almir foi submetido a horas de tortura sob os olhares de Norman Gonçalves.

A época ainda se chegou a especular que durante as sessões de torturas os assassinos teriam extirpados os órgãos sexuais da vítima, mas o fato não foi confirmado pela perícia.

Advogado Almir Neto morto com requintes de crueldade
O corpo do advogado foi encontrado carbonizado dentro de seu próprio veículo, nas proximidades do povoado Baixão de Pedra, na saída da cidade de Barra do Corda e só foi identificado por causa de uma pulseira que usava.  

O crime ocorreu em 23 de dezembro de 2008 e foi motivado, segundo apurou a Polícia, por vingança. Norman teria descoberto que sua esposa estaria tendo um caso com a vítima e a partir daí passou a tramar um plano para matar o advogado.

Dos quatro participantes da morte do advogado Almir Neto, apenas Elaine Cristina cumpriu integralmente sua pena no Complexo Penitenciário de Pedrinhas e foi liberada.

Norman e seu sobrinho Otinha foram condenados pelo tribunal do Júri de Barra do Corda e estão foragidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário